Muito mais que dois.

Nao se pode ser tudo para todo mundo e eu aprendi isso muito cedo.

Eu tive parceiros que eram maravilhosos companheiros de aventuras.

Outros nao sabiam se comprometer, ou nao queriam.

Ja tive quem fizesse plano a longo prazo, do tipo o que fariamos quando a gente se aposentasse.

Uns que eram otimos com dinheiro, outros que nao sabiam quanto ganhavam por mes.

Ja tive quem me virasse de ponta a cabeca me proporcionando orgasmos inimaginaveis.

Ja tive quem me bancasse financeiramente so pra me ter disponivel.

Ja ganhei carro e apartamento.

Ja tive parceiro do tipo que so com um beijo quase me fazia gozar.

Ja tive uma namorada que tudo o que eu queria fazer com ela, era ficar sem roupa.

A gente ja saiu de um festival na metade so pra poder fazer amor e da aula de spinning.

Ja tive um cara que enquanto a gente fazia sexo, a gente fazia planos de filhos, casamento, viagens e quando acabava a gente esquecia de tudo que a gente combinava enquanto ele estava dentro de mim.

Ja tive um lover que me conquistou pelo papo e pelas suas ideias, quando a gente se encontrou eu ja era dele e ele ja era meu. Thanks to Whats’ app.

Uma vez, contratei um travesti pra sair comigo e um namorado, o travesti transou com nos dois.

Ja convenci marido de me levar em casa de swing.

Tudo o que envolve adulto e consentimento, eu to dentro.

E as vezes to fora.

Tenho 40 anos e muita estoria pra contar a quem quiser ouvir.

Nao sou uma mulher convencional, mas gosto de pensar que talvez em alguns anos tomar decisoes baseadas em desejos ao inves de medos e imposicoes sociais, seja algo mais normal?

Porque desejo todo mundo tem.

Mas nem todo mundo fala.

Eu falo, eu faco e eu escrevo.

E agora divido.